quarta-feira, 29 de março de 2017

Justo

Não tenho ambições nem desejos
Ser poeta não é uma ambição minha
É a minha maneira de estar sozinho.

Fernando Pessoa

segunda-feira, 27 de março de 2017

Engano!

Enganei-me:
peço desculpa, enganei-me!
Furtei-me ao destino,
Ainda sou aquele menino,
Que brinca ao berlinde e
que pensa a vida como um todo:
feliz, simples, transparente,
quente e eterna.

Enganei-me, peço desculpa,
Enganei-me!
Ainda uso bibe, 
Ainda não cresci, 
Não vivi o suficiente.
Verdadeiramente,
Ainda não sofri.

Enganei-me, desculpa,
Enganei-me!
Ainda sou um petiz, 
Que precisa do passado,
Que adora estar do teu lado
porque te acho feliz,
simples, transparente,
quente e eterna...
como a vida que vivi.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Para bom entendedor...

Qual Midas, o quase engenheiro em tudo o que tocou transformou em porcaria. Agora que se aguente à bronca e que faça valer a "sua verdade" nos locais próprios, os quais, por incrível que pareça, tutelou por alguns anos.
Andar todas as semanas (ele e os advogados) a insultar a inteligência daqueles que não vêem reality show's na TVI é que não me parece razoável.

Tenho dito!

domingo, 19 de março de 2017

Adorado por alguma populaça, não tem vergonha na cara!

A propósito de Presidentes responsáveis, recorde-se o dr. Sampaio. No segundo volume da sua biografia (quem reparou no primeiro?), de José Pedro Castanheira (quem dedica anos de investigação a uma figura que deprime em três minutos?) o homem explica com típica sofisticação “Fartei-me do Santana como primeiro ministro, estava a deixar o Pais à deriva.” Vai dai, entregou o cargo ao “eng.” Sócrates, que orientou o País com reconhecida mestria. Os nossos estadistas não se distinguem pelas cretinices que cometem, mas pelo orgulho que as mesmas lhes suscitam.

Alberto Gonçalves, Revista Sábado 

quinta-feira, 16 de março de 2017

Aí e tal os jovens bebem muita Coca Cola!


Pergunta: será que algum jovem bebe de um 1,5 a 3 litros de Coca Cola por dia? 



Erro de perceção mútuo!

Mentira, aldrabice, inverdade, falsidade, embuste, logro: Não! Erro de perceção mútuo! É muito bem esgalhado por parte do ministro das finanças. 
Já agora aproveito para relembrar o seu jeito para números, ou será que foram múltiplos erros de perceções mútuos? Já dizia o outro... é fazer a conta. Estes políticos são uma comédia.


segunda-feira, 13 de março de 2017

Uma questão de respeito

"Se pudesse fazer uma pizza gigantesca sobre educação, a base, a massa, seria o respeito, e por cima colocaria tudo o resto."

César Bona, A Nova Educação

domingo, 12 de março de 2017

São estas as conquistas de Abril


Para os leitores que não acompanham a política portuguesa, estes são o primeiro ministro português e o líder da oposição. Estas são as conquistas da democracia e da liberdade de expressão. 
Lindo exemplo para o país. Pelo menos enriquecem o léxico da populaça. Mal, mas enriquecem.

Já agora, o que significam os vocábulos: vil, ordinário, reles e soez?
Registo a sinonímia!

B.A.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Está no sangue dos portugueses...

O que costuma acontecer aos adultos é que fazem críticas vagas em relação a algo em geral. Por isso, também ensino aos meus alunos que, se tiverem de fazer uma crítica, tentem primeiro formulá-la de tal maneira que não seja uma censura vazia; e, se de qualquer modo a fizerem, que apresentem, pelo menos, uma alternativa. Uma crítica deve ser seguida de uma alternativa.

César Bona, A Nova Educação

quarta-feira, 8 de março de 2017

Dia da mulher: a sério?

Comemora-se hoje o  dia da mulher! A sério? 
Não percebo a razão de tal dia. Que a mulher é importante, já sabemos. Que é um ser extraordinário, com resiliência, com capacidade de sofrimento, com características ímpares na raça humana, nomeadamente de empatia, beleza, sensibilidade, perseverança: também já sabemos. Que a história da humanidade está carregada de exemplos onde a mulher não foi bem tratada, nem valorizada, nem colocada no melhor lugar: é história. Mas todos estes exemplos não justificam tal dia. Na minha opinião, o dia da mulher serve apenas para mostrar que a mulher ainda não está ao nível do homem porque, se estivesse, não precisava de dia. 
Os dias da mulher e do homem são todos. Homens e mulheres caminham lado a lado desde os primórdios da humanidade. Actualmente, a mulher conquistou em definitivo o seu lugar e não há machismo nenhum que se possa opor a isso. 
Ainda há poucas décadas a mulher não era tida nem achada em nada. O que conseguiram desde aí é extraordinário e revelador das suas reais capacidades.
Não percebo como podem haver homens que não valorizam as mulheres, se não tiverem mais razão nenhuma, todos têm uma mãe... 
O caminho é demonstrar todos os dias as qualidades que têm, as habilidades que possuem, o sentido de responsabilidade que apresentam, a resiliência, a abnegação, a capacidade de sofrimento... eu sei que já me estou a repetir mas não me canso. 
Tenho muita sorte nas mulheres que tenho na minha vida, fazem-me muito feliz mas... esqueçam lá o dia. O dia das "minhas" mulheres são todos: mesmo assim: parabéns.

terça-feira, 7 de março de 2017

Uma questão de sorte!

Consta que, quando Napoleão precisava de um novo general, além das perguntas óbvias sobre a sua competência na gestão de homens, liderança, capacidade de organização, improvisação, reservava para o fim uma última pergunta:
- E ele tem sorte?

A propósito do incêndio das redes sociais:


há pessoas que não têm mesmo mais nada para fazer!

Mentalidades 2

A polémica instalou-se com a canção vencedora para nos representar no Festival Eurovisão da Canção.
Para mim, são perfeitamente estúpidas as críticas: que não se adequa ao estilo do festival, que devia ser mais direccionada para o estilo pop/rock/metal, que é demasiado simples, que o cantor não tem grande voz, que os camones não vão perceber a letra, que o tema é pueril e muito batido, que devíamos mandar um homem com barba vestido de mulher... são algumas das críticas que incendiaram as redes sociais!
E não é que são todas verdadeiras (excepto a última) mas que, mesmo assim, não beliscam em nada a música em questão, o seu valor, significado e intensidade.
A canção é linda, a interpretação é boa, a letra é inspiradora. O simples e o belo podem funcionar e, neste caso, funcionam numa perfeita comunhão que há muito não sentia ao ouvir um tema. 
Se não se adequa ao estilo do festival, azar... Para mim, só existem dois tipos de música: boa e má, e esta é, claramente, uma música boa muito na linha do que nos tem apresentado a cantautora. Curiosamente ou não, a voz e o estilo do cantor são muito semelhantes à voz e estilo da irmã.  
Pior do que temos apresentado nos últimos anos não é e, além disso, o próprio festival é uma farsa, sempre foi, com troca de votos entre países e pré-combinações abjectas que colocam a nu a nossa verdadeira dimensão. 
Ah! já agora, como nos diz a canção: "o meu coração pode amar pelos dois."

segunda-feira, 6 de março de 2017

Mentalidades

Há dias, numa reunião, usava o telemóvel para verificar as notas dos alunos. A certa altura, uma colega pediu-me para parar porque, segundo ela, ficava mal usar o telemóvel durante a reunião, ainda para mais com alunos e encarregados de educação presentes. 
Expliquei-lhe, a conta-gosto, que não o fazia para uso particular, mas em trabalho. (Compreendo que alguns colegas usem o papel, eu uso o mínimo indispensável.)
Retomando a estória... não é que, alguns dias depois, a mesma colega usava alegremente o telemóvel durante outra reunião, com as mesmas finalidades...

Desconstrução

Os meninos e meninas (as crianças) são feitos, sobretudo, de ilusão. Não podemos esquecer-nos disso um único dia.

César Bona, A Nova Educação

sexta-feira, 3 de março de 2017

Triste país este!

Um certo político pode ter amigos que lhe emprestam milhões em contas na Suíça, Singapura, Panamá, Ilhas Virgens,  etc, etc, etc...

Um certo amigo pode pedir a um certo amigo para escolher o chão da sua própria casa.

Um certo banqueiro pode ser dono disto tudo, levar à falência um banco que foi resgatado pelo dinheiro de todos os contribuintes, transferir dinheiro para paraísos fiscais e permanecer livre como um passarinho. 

Uns certos administradores podem receber milhões de um certo banqueiro com a conivência de um certo político através de um certo amigo. 

Um juiz não pode ter um amigo que lhe empreste tostões através da Caixa de Crédito Agrícola.

São estas as conquistas de Abril!