quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Perfeito... só que estamos em Portugal

"O Governo vai preparar um pacote de medidas para as matas nacionais afetadas pelos incêndios, que passa pela elaboração de um relatório de ocorrências, por um programa de intervenção e pela aplicação da receita da madeira nessas matas."

Querem apostar que alguém vai ganhar dinheiro com isto?
Quem?

Os amigos, os amigos dos amigos e os amigos desses amigos.

Hipócrita

"A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, anunciou hoje que o partido vai apresentar uma moção de censura ao Governo em resultado dos incêndios e devido à falha em "cumprir a função mais básica do Estado: proteger as pessoas"."

Observador

Não fazia ela parte do anterior governo? Cambada de incompetentes e hipócritas.

Traz outro amigo, também

Agora que a ministra foi de férias, Costa trouxe mais um amigo... Pelo menos ouvimos boa música!


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Não consigo dar título...

Azeredo Lopes assumiu, numa entrevista, que poderia em última análise nem sequer ter havido furto em Tancos.

A PJ militar recuperou as armas do roubo em Tancos que, segundo o ministro, pode não ter acontecido.

O PCP e o Bloco de Esquerda não dizem nada sobre tudo.

Os incêndios, no limite, podem não ter existido e as pessoas estão vivas e felizes.

O PSD e o CDS fazem oposição ao governo e não inventam suicídios, nem diabos.

O PS sobe nas intenções de voto.

A ficção não consegue acompanhar a realidade.

Eu não escrevi isto.

Para bom entendedor - Xutos & Pontapés


O menino que sonhava com ventoinhas fez tudo sozinho?

"O facto é tanto mais notável quanto os amigos de José Sócrates eram imensos. Alguns, fiéis à força, continuam a fazer-lhe companhia nas quatro mil páginas do processo. A maioria passeia-se sorridente. Sorridente e amnésica. Se o pacote de acusados constitui uma amostra razoável da oligarquia que regularmente enxovalha o país, convém notar que, por definição, as amostras deixam o resto de fora."

Alberto Gonçalves, Observador

Resumo das coisas...

...ao sabor do vento, naquela tormento (Portugal):


São coisas...

O estado islâmico fez mais pelo turismo e pelo PIB Português que os governos Sócrates, Coelho e Costa juntos...



Coisitas

Madonna não consegue comprar casa em Lisboa...

Pahhhhhhhh...


Coisinhas

Santos Silva fez mais por um amigo que todos os amigos do mundo juntos...


Coisas...

O S. Pedro teve mais medidas contra o fogo que todos os governos juntos, além de ter salvo a pele ao Costa...


São coisas...

Os incêndios fizeram mais oposição ao governo que PSD e CDS juntos...

Já tinha saudades...

Já tinha saudades de ti que me lês,
Que me esperas na próxima pausa
e que lambes o dedo da imaginação
como se mais uma palavra
fosse o sopro de vida que te falta,
Que te inquieta,
Que te esmaga por dentro
e que azula as tuas veias como uma doença
que não tens mas que sentes ter,
sem fôlego.

Já tinha saudades de ti que me consolas,
que me percebes e escreves e pensas
o que queria ter sentido,
O que faz sentido desde que te conheci
e me entreguei sem rede
por nada e por tudo, sem nada e com todas
as coisas que preciso para ser eu,
Perspicaz. 

Já tinha saudades de te encontrar aqui.
Já tinha saudades de ti.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Desconstrução

A noite pose
é madrugada
A cepa
A videira não é esguia
A solidão não é carcere
A tristeza
O povo não é democrta
a
A morte não é fim
O ouro não é prata
O sonho é
A
A vida não é tudo
O zero não é nada
A morte não é fim

A montanha não pariu um rato...

Observador

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência

"Isaltino era um mecânico que parecia fazer um bom trabalho, mas pela calada ia enganando e roubando os clientes. Foi condenado e voltou a abrir uma oficina. Estranhamente, alguns dos clientes antigos continuam a ir lá deixar o carro.
Tenho um problema com mecânicos: acho sempre que me estão a enganar. Como percebo pouco de mecânica fico sempre com a sensação de que os termos técnicos que eles dizem só servem para me confundir e acreditar que afinal aquele arranjo, inicialmente orçamentado em 50 euros, se transformou em 500 euros de forma completamente honesta e necessária.

O meu último mecânico chamava-se Isaltino. Até parecia um gajo porreiro, todo bonacheirão, com o seu charuto na boca enquanto ia mexendo nos carros. Tal como todos os mecânicos, estendia o antebraço quando me cumprimentava porque tinha sempre as mãos sujas. É sempre estranho agarrar o pulso de um homem e abaná-lo, mas é um ritual que já todos conhecemos. Parece sempre que estamos a cumprimentar um maneta, interagindo com o seu coto, o que num mecânico até seria bom pois era sinal de que não cobrava mão de obra [INSERIR RISOS ENLATADOS].

O Isaltino parecia um bom mecânico que resolvia os problemas dos carros. Era daqueles mecânicos preocupados que agia preventivamente já que quando o problema era da Capa de Biela, dizia que era melhor trocar já a correia de distribuição para evitar problemas e o carro ficar como novo. E ficava! O arranjo saía caro, mas o que é certo é que o carro vinha de lá a andar e sem barulhos esquisitos. Uma vez precisei de trocar as escovas, mas o Isaltino disse-me que devido a um problema do elevador dos vidros era melhor trocar o motor. Mais uma vez, como não percebo nada de carros, desconfiei e fiquei ali entre a espada de parede, ou entre o achar que ele poderia estar a querer sacar-me dinheiro e a minha ignorância que me levava a acreditar nele. Disse que sim e paguei, tal como fazemos no médico e quando levamos o computador a arranjar. Os funcionários lançam-nos termos técnicos e nós somos forçados a acreditar que eles sabem mais do que nós e que seriam incapazes de nos enganar.

Certo dia, o Isaltino foi preso. Uma grande investigação à sua oficina concluiu que andava a roubar os clientes, inventando arranjos desnecessários, trocando peças novas por segunda mão, levando os carros a uma oficina de diagnóstico de um primo dele, sem que houvesse necessidade. A juntar a tudo isto, a fatura era sempre opcional, sugestão do Isaltino e acatada pelos clientes que já haviam gasto mais do que o inicialmente previsto. Havia ainda a desconfiança de que a oficina era utilizada para lavagem de dinheiro de outros negócios ilícitos. Isaltino sempre disse ser inocente e que tudo não passava de uma cabala de outros mecânicos que invejavam o seu profissionalismo e a forma como os carros saíam da sua oficina sempre bem arranjados, mas a acusação deu como provados todos os seus crimes e condenou o mecânico a 7 anos de prisão e ordenou o fecho da sua oficina. Como Isaltino era bem conectado — já que muitos políticos arranjavam os seus carros nessa oficina — acabou por sair ao fim de ano e meio.

Quando Isaltino saiu do cárcere, mais magro, decidiu voltar a abrir uma oficina já que ser mecânico era tudo o que ele sabia ser. Ao contrário do que seria de esperar, devido ao seu cadastro e crimes cometidos no exercício das suas funções, muitos dos seus clientes antigos voltaram a confiar nos seus serviços e a oficina depressa estava cheia e a faturar. Eu nunca mais lá fui! Perguntei a um amigo meu o porquê de ele continuar a ir a um mecânico que já tinha sido provado ser desonesto, corrupto, aldrabão e que rouba dinheiro dos clientes e a resposta desse meu amigo foi simples: "Os mecânicos são todos iguais. Todos roubam! Ao menos neste os carros ficam bem arranjados!".

Percebi o que ele queria dizer com aquilo e a minha sensação em relação a mecânicos também era essa, mas tal como no amor, se me enganarem sem eu saber, tudo bem, mas a partir do momento que eu descubra, nunca mais haverá nada entre nós. A minha dignidade assim o exige, assim como a minha legitimidade para me queixar. Sabem aquele ditado do "Engana-me uma vez, shame on you, engana-me duas vezes, shame on me"? Levo isso à letra com os amores, com os mecânicos e com os políticos."

Guilherme Duarte, SAPO 24

Alberto Gonçalves - Observador

"Uma candidata à câmara de Lisboa propôs a segregação de “géneros” no metro local e, sem cedência a falsos pudores ou à hipocrisia, destapou um dos maiores dramas nacionais: o abuso sexual das mulheres nos transportes públicos, pelo menos nos da capital. Corajosa, Joana Amaral Dias não hesita em imitar métodos usados, para fins raciais, na África do Sul do apartheid ou no Alabama de 1950. Democrata, Joana Amaral Dias concede que a utilização dos lugares “protegidos” seja facultativa – as senhoras sérias escolhem-nos; as galdérias, se assim quiserem, permanecem na zona da pouca-vergonha.

Naturalmente, um assunto desta gravidade não podia ficar por aqui, para cúmulo quando a gravidade raia o inominável. A polémica, como é típico das polémicas, instalou-se. E, de acordo ou em desacordo com a segregação, os testemunhos pungentes sucederam-se. Nas “redes sociais”, uma arguta jornalista de investigação, célebre por ter namorado com um trapaceiro sem suspeitar de nada, escreveu: “quero q (sic) as miúdas (sic) d (sic) 11 possam andar na rua sem lhes pedirem broches. não (sic) quero q (sic) andem em autocarros so (sic) p (sic) meninas. quero (sic) q (sic – tenham paciência) a lei as proteja”. Em resposta a este apelo angustiado, outra alegada jornalista, filha do presidente da Assembleia da República (juro), acrescentou: “Quero que andem de autocarro sem receio de que um gajo qualquer se encoste a elas para se vir entre uma paragem e outra.”

Embora não penetre (vade retro) um autocarro desde 1989, não me passa pela cabeça duvidar de gente séria. Parece-me evidente que alguma coisa medonha acontece na Carris e similares, cujos veículos estão aparentemente repletos de exibicionistas apreciadores de fellatio e ejaculadores precoces. Não me parece evidente a maneira de as referidas jornalistas chegarem a informação tão detalhada. Sugiro duas hipóteses. A primeira é o recurso a fontes qualificadas: as senhoras nunca entram em autocarros, mas convivem diária e proximamente com depravados que o fazem com propósitos sórdidos e, desculpem o jargão científico, heterobadalhocos. A segunda hipótese é a observação directa: as senhoras frequentam os ditos autocarros e são, elas próprias, alvo dos pervertidos agora denunciados. Em qualquer dos casos, as senhoras deviam rever o rumo das respectivas vidas. Em qualquer dos casos, os poderes políticos deviam actuar com a pressa e o vigor adequados.

Falo, evidentemente, da abolição dos transportes públicos. Mesmo sem a presença de maluquinhos desejosos de repetir as proezas do filme erótico da CMTV da noite anterior, viajar encostado a resmas de desconhecidos é actividade assaz desagradável e avessa a uma existência sadia. Na presença dos maluquinhos, então, torna-se uma aventura de alto risco, que urge erradicar. Por mim, sempre desconfiei que o lóbi dos transportes públicos, que berra há décadas contra o bom e velho automóvel, era coisa de tarados. Não imaginava que o fosse literalmente.
Perante isto, é ainda mais assustadora a simpatia que o citado lóbi colhe junto de governos, autarquias, energias “renováveis” e activistas “verdes” ou maduros. Se já deprimia o empenho fiscal e legislativo e policial com que se tenta demover os cidadãos de viajar na propriedade privada e na privacidade devida, é grotesco que semelhante empenho esteja, afinal, ao serviço de líbidos desarranjadas. Felizmente, à revelia da propaganda que procura “vender” os transportes públicos a título de amigos do ambiente ou de amigos da circulação urbana, há jornalistas sem medo de os denunciar como os amigos do deboche que de facto são.
Convém mostrar-lhes que não estão sozinhas. De hoje em diante, sentarmo-nos ao volante do nosso carro deixará de ser um simples pormenor quotidiano. Será, sobretudo, um gesto de solidariedade para com as mulheres assediadas e de resistência aos vastos interesses do assédio, desses que se movem na sombra ou debaixo da gabardina. No sossego do Audi ou do Fiat, os únicos tarados – ou, em prol da igualdade, taradas – são aqueles que convidamos. E as únicas vítimas são as que pagam impostos."

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O CDS promete mais estacionamento em Lisboa...


:)



Vinho novo, odres velhos

"Por mais que um lugar nos pareça, a princípio, selvagem, é a nossa natureza domesticá-lo, tornando-se, primeiro, habitável, mais tarde familiar e, por último, quando já pouco nós assusta e aprendemos a chamar-lhe casa, o sítio onde nós lambuzamos na nossa preguiça, começando a desprezá-lo, a esquecê-lo."

João Tordo, O luto de Elias Gro

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Viva a Democracia

"Sobretudo as autarquias existem para providenciar um salário aos autarcas, uns favores aos compinchas que ajudaram a eleger os autarcas e uns empregos à quantidade de munícipes suficiente para, em teoria, assegurar a reeleição dos autarcas."

Alberto Gonçalves, Observador 

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Referendo

{Integração} ×
{Estupidez}  ✓

Pegando na não notícia, já houve desistências?

Três dos passageiros que chegaram hoje à Madeira a bordo do navio ‘Monarch’, o maior cruzeiro gay do mundo, não chegaram a tempo da viagem e ‘perderam’ o barco que saiu do Porto do Funchal às 18 horas, rumo a Las Palmas.

Desde quando isto é notícia?

"Um cruzeiro exclusivamente para gays vai partir de Lisboa, pela primeira vez, esta segunda-feira. De acordo com a notícia avançada pelo Diário de Notícias, o navio vai passar por Madeira, La Palma, La Gomera, Tenerife, Lanzarote e Gran Canaria nos próximos oito dias. Segundo adiantou a organização ao referido jornal vão viajar 2200 pessoas, de 85 nacionalidades, sendo que 35 viajantes são portugueses."

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Discordo. Temos feito um grande trabalho

"O ministro da Saúde reconheceu que Portugal tem muito pouco trabalho feito na área das demências." 

Observador

Discordo. A classe política (onde está incluído o Ministro) tem feito um grande trabalho nessa área porque nos trata - cidadãos - como... dementes.

Exemplo 1: "O dilema de ir à bola ou votar vai acabar: Governo prepara lei que proíbe jogos em dia de eleições." 

Expresso

Exemplo 2: "Vice-presidente da câmara de Manteigas foi a Paris e decidiu levar o carro, facturando mais de mil euros em quilómetros. Diz que levou carro próprio porque lhe dá mais "estabilidade psicossomática".

Observador

Muitos outros exemplos poderia dar, estes são desta semana. Se isto não é um grande trabalho na área da demência, não sei o que poderá ser!

O pintor quer, ou dá?


Nem umas, nem outras

"Alguém disse uma vez, apreciando um texto escrito por outra pessoa, que neste se encontravam ideias boas e originais, mas que as boas não eram originais e as originais não eram boas."

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Linda estória!

"Para quem não tenha habitado o planeta durante o último século, o caso da Autoeuropa é uma pertinente aula prática sobre os propósitos, os métodos e as consequências do socialismo “científico”. Há uma empresa multinacional relevante para as dimensões da economia nacional, viável há muitos anos e com um apreciável currículo de razoabilidade nas relações entre empregadores e empregados. Há uma proposta, ou decisão, para alargar o expediente aos sábados, com troca de folgas e aumento desproporcionado (no bom sentido) dos salários. Há um bando de preguiçosos daninhos, de facto serventuários do PCP, que toma aquilo de assalto e promove uma greve inédita. Há uma enxurrada de referências cínicas à “luta” e aos “direitos”, aos “piquetes” e à “paralisação”. Há a suspeita de que, não tarda, os donos da coisa cansam-se desta Venezuela à beira-Sado e vão produzir carrinhos em paragens menos folclóricas. Há a certeza de que, logo que os trabalhadores fiquem sem trabalho nem dinheiro (mas com sete dias livres por semana), a culpa será do capitalismo selvagem. Há esperança de que, sobre os escombros e a miséria, o PCP decrete a vitória das forças revolucionárias. Não há esperança de que isto sirva de lição."

Alberto Gonçalves, Observador



A propósito dos livros de actividades da Porto Editora

Vale a pena ouvir!





Assim também eu era compositor...

Después de Ti… Qué


L’Idiot

domingo, 10 de setembro de 2017

Algo vai mal quando...

um hospital público, depois de um episódio de urgência, envia uma carta a cobrar uma dívida de 0,35 €



gastando no selo da mesma 0,38€.

sábado, 9 de setembro de 2017

Coitada da Santa que não tem culpa nenhuma

Em Portugal não há fanáticos religiosos. Eu achava que não até ao dia em que vi TOMBAR um andor de 22 metros de altura e 1,5 toneladas de peso, carregado por mais de 80 irresponsáveis com uma turba de pessoas a assistir ao TRISTE espectáculo, em êxtase, contando com o total beneplácito das autoridades. 

Confuso? Veja o vídeo!

Catrapum...





Confuso?

"A pergunta certa é geralmente mais importante do que a resposta certa à pergunta errada."

Alvin Toffler

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Critérios

A feira de São Mateus, em Viseu, proporciona aos seus visitantes um vasto leque de concertos com alguns dos melhores artistas nacionais.

Os concertos, na sua grande maioria, são pagos o que, nos tempos que correm e em ano de eleições, é de louvar.

Contudo, não percebo e não concordo com os preços dos espetáculos.

Por exemplo, se querem ver o David Carreira pagam 5 euros, mas os Capitão Fausto são de borla.

A Áurea custa 3 euros, a Cuca 4 euros assim como o José Cid, mas para o Abrunhosa têm de pagar 5 euros.

Fazem algum sentido estas diferenças?

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Corrupção da Realidade

"Conheci há uns anos um professor romeno que me contou duas ou três obscenidades sobre a ditadura do camarada Ceausescu. Dizia ele que o problema do regime não estava apenas na violência explícita. Estava na “corrupção da realidade” - uma forma de faIsificar o senso comum, apresentando como normais situações absolutamente anormais.
(...)
Portugal passa por um processo semelhante. Não somos uma ditadura, mas todos os dias a anormalidade é apresentada como uma nova normalidade."

João Pereira Coutinho, Sábado

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

É isto!

"Professô Rolando • há 2 dias

O professor actual é o equivalente a um a Animador Sociocultural, um artista circense, um palhaço, um fiel de armazém, ou seja, é alguém para tomar conta deles.

A escola passou a ser um depósito de crianças para que os pais possam trabalhar. Para ser professor serve um individuo qualquer desde que tome conta deles.

Depois pede-se a estes "entertainer" para preencherem umas plataformas e fazerem uns relatórios e umas atas e pronto é isto "Ser Professor".

Mas a malta julga-se gente importante - uns setôres - e no fim de contas são é uns valentes tristes."

Como "store", não podia estar mais de acordo! Acrescentaria à primeira frase as profissões de domador e entertainer. 

No seguimento da mensagem anterior

Na semana passada, o realizador do jogo entre o Guimarães e o Benfica decidiu colocar no ar uma adepta encarnada, enfatizando alguns atributos. 


Depois disto, as redes sociais incendiaram-se contra o realizador, conta a adepta, contra o sexismo, contra o escravatura, contra o apartheid, contra a Coreia do Norte e contra os tocadores de Clarinete. 


Obrigado a todos por me darem, todos os dias, motivos para sorrir. 

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Há muitos

Bem escrito

"Creio que, numa relação, o beijo terá sempre de manter a densidade do primeiro, a história de uma vida, todos os pores-do-sol, todas as palavras murmuradas no escuro, toda a certeza do amor. Mas já não é assim. Agora sabem às vacinas que tínhamos de dar à cadela (já morreu), às conversas com o director da escola, à loiça por lavar, à lâmpada que falta mudar, às infiltrações no tecto, às reuniões de condóminos. Toco levemente os lábios dela e sabe-me à rotina, às Finanças, ao barulho da máquina de lavar roupa. Beijamo-nos como quem faz a cama."

Flores, Afonso Cruz

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Está tudo doido?

"A MEO não vai cobrar as mensalidades, nem as penalizações, aos herdeiros dos clientes que faleceram no incêndio de Pedrógão Grande. E durante três meses também não cobrará aos clientes que viram as suas casas destruídas ou afectadas."

Expresso

Parafraseando Avelino Ferreira Torres, era uma "filha da putice" se o fizesse. 
Começo a ficar cansado de, em Portugal, se parabenizar/agradecer a pessoas ou instituições só porque fazem o que deve ser feito. 


Governo Portugal

Antes de Pedrógão


Depois de Pedrógão


Costa/Centeno


Ministra Administração Interna


Marcelo


Oposição





O que é um português qualquer normal?

"Quem tem de aplicar as leis são as autoridades e quem prevarica, evidentemente, tem de ser punido, seja cigano, seja muçulmano, seja um português qualquer normal."

Marques Mendes, SIC

Será o doutor Marques Mendes um português qualquer normal?




14 milhões não compram um iatezito (pequenito)?

O presente de 14 milhões de Ricardo Salgado "’Liberalidade’. Foi com esta expressão jurídica que o banqueiro justificou, no Banco de Portugal e no DCIAP, ter recebido, não 8,5 mas um total de 14 milhões de euros do construtor. Em causa estava "um acto de carácter espontâneo e a título gratuito que venha a favorecer ou a beneficiar economicamente alguém". Resumindo, uma oferta em dinheiro.

Jornal de Negócios

"Na primeira vez que foram a minha casa vinham à procura dos iates, em Monte Carlo. Não há iates, nunca houve. Ah, e não há castelos na Escócia."

Sábado

Mais uma mensagem da rubrica: e o burro sou eu!




Voto Nulo

Fazer política, com acusações mútuas sobre os incêndios (PS vs PSD), em particular o de Pedrógão, em vez de identificarem as suas causas e implementarem, ontem, medidas para não voltar a acontecer, diz tudo sobre o actual estado da política portuguesa. Mea Culpa porque votei num deles.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Se isto é um Primeiro-Ministro

"Porque é que Costa teve medo de revelar os nomes das 64 (que podem ser 66) vítimas de Pedrógão? Talvez porque tem responsabilidade em muitas medidas e nomeações indissociáveis da tragédia que vivemos."

José Manuel Fernandes, Observador

Todo o artigo aqui.

Both

"O que é mais assustador? A ideia de extraterrestres e mundos estranhos, ou a ideia de que, em todo este imenso universo, nós estamos sozinhos?"

Carl Eduard Sagan

Pinar? Até aos 49...

"A Maternidade Alfredo da Costa recorreu para o Supremo, em dezembro de 2013, da condenação de pagar 172.000 euros por negligência médica cometida durante a cirurgia realizada em 1995, que deixou a mulher com lesões irreversíveis e uma incapacidade permanente de 73%, tendo o STA decidido reduzir o valor em cerca de 60.000 euros, justificando a decisão com o argumento de que a sexualidade não é tão importante para uma mulher de 50 anos e com dois filhos como para alguém mais novo."

“Como ela [vítima] já tinha mais de 50 anos à data em que foi operada, o STA entendeu que a sexualidade a partir dos 50 anos não tinha a mesma relevância que teria se ela fosse mais nova. Ela foi discriminada [pelo STA] pelo facto de ser mulher e por ter a idade que tem”, explicou à agência Lusa o advogado da vítima."

Sapo Notícias

Menina bonita

A nova coqueluche da Política Portuguesa, Mariana Mortágua, defende num artigo de opinião no JN que - passo a citar - "A especialização no turismo massificado é um erro que pagaremos muito caro no futuro".

Não sei qual será o malabarismo político que fará quando, chegadas as eleições, o governo que ela apoia, apresentar número económicos muito sustentados no BICHO PAPÃO Turismo. Será que na política também se adequa a máxima do futebol: o que hoje é verdade amanhã é mentira?

Mais à frente, no mesmo artigo, afirma: "Boa gestão política requer, às vezes, precisamente o contrário: encontrar mecanismos inteligentes para refrear as bolhas que insuflam, com a responsabilidade de sabermos que um dia rebentação."

What???


terça-feira, 25 de julho de 2017

Deputados Poetas

Romário, jogador de futebol, afirmou um dia que o seu colega de profissão Pelé "calado era um poeta". 
Cá no burgo, o Observador constatou que "no último ano de sessão legislativa, houve dez deputados de quem não se ouviu perguntas ou intervenções nas sessões plenárias da Assembleia da República."
Sendo assim, só tenho a lamentar as críticas a que estes deputados foram sujeitos na última semana. Para mim, a explicação é simples: além de não terem nada de jeito para dizer, estes deputados como viram que o Manuel Alegre esfolou umas notas (cem mil euros) com o prémio Camões, querem-lhe tirar o lugar.

domingo, 23 de julho de 2017

Velhos Contorcionistas

Segundo o JN, a prostituição voltou à berma da estrada. Um dos motivos invocados para a mudança de paradigma - "c. d. p." versus estrada -  é o facto de, na estrada, ficar mais barato o seu exercício embora não esclareça para quem: utentes, prestadoras/prestadores (não quero ser acusado de homofobia pelo BE) de serviços, chulos.

Posto isto, além de exercitar as minhas qualidades enquanto contorcionista, eu que adoro este tipo de casas, vou ter de voltar à estrada...

Não estava tudo cheio de merda?

Para nunca mais mentir...

Dedicado a todos os políticos e banqueiros portugueses.

Ornatos Violeta

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Prazo de Validade Esgotadíssimo

"Ganhei o direito de poder estar no futuro do PSD."

Luís Montenegro, Expresso

"Só por modéstia é que diz que ganhou estatuto para ter futuro no PSD, ele tem mais do que futuro no PSD", afirmou o presidente do partido, numa nota pessoal que admitiu ser rara em si por gostar "muito de controlar as emoções".

Pedro Passos Coelho, JN


Comunidades

Vivem de subsídios ou de negócios mais ou menos duvidosos em feiras onde, entre outras coisas, vendem produtos contrafeitos sem pagar um único cêntimo de imposto ao estado ... 
Educam os filhos na mendicidade, vendendo pensos rápidos ou usando animais de estimação como cobaias, tanto para fins recreativos, como para arrastamento de veículos de duas rodas...
Fazem casamentos por conveniência, obrigando adolescentes a casar aos 12, 13 e 14 anos, não lhes dando oportunidade de frequentar a escola, nem de acabar o ensino regular...
Tratam as mulheres como adereços...
Exibem colares e pulseiras de ouro, roupas escuras, cabelos grandes e barbas mal-aparadas... 
Rejeitam a higiene, tanto íntima como das casas onde habitam, normalmente em bairros sociais com rendas baixas - ainda assim por pagar -, transformando essas habitações em autênticas barracas...
Falam com os restantes cidadãos de cima de um pedestal de "estoumecagandismo" total, não se coibindo de - experiência pessoal - tentar enganar, aldrabar, mentir e dissimular situações, contextos e relações pessoais no sentido de manter o seu "status"...

Se está a pensar numa comunidade em especial ou é tão preconceituoso e homofóbico como eu, ou é um normal cidadão observador da realidade nua e crua, com algum espírito crítico. 
Se não pensou em nenhuma comunidade em especial, nem a identificou imediatamente, parabéns!, vive num mundo cor-de-rosa e é militante do Bloco de Esquerda.



As famosas conquistas de Abril

Consórcio não paga penalizações por radares que não funcionam

"Se penalizações previstas no contrato fossem aplicadas, o consórcio devia mais de um milhão de euros. ANSR assume culpa da derrapagem apesar de o contrato obrigar os privados a cumprir os prazos."

Público

Versus

Quando as multas de trânsito surgem de todo o lado

"Luís recebeu “oito ou nove” no mesmo dia, Lourenço acumulou “mais de 40”, Francisco foi surpreendido à porta de casa e Lígia não só teve de pagar como acabou detida na autoestrada. Viagem à fronteira entre prevenção rodoviária e caça à multa."

Visão


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Ana Gomes, onde andas tu?

"Portugal é o único país da UE a rejeitar sanções à Venezuela. Dos 28 estados-membro, só Portugal rejeita a hipótese de aplicar sanções à Venezuela caso Maduro avance com a convocação de uma assembleia constituinte."

Terá sido uma troca de favores entre PS e PCP com a aproximação do orçamento de estado?

terça-feira, 18 de julho de 2017

Quantos milhões vale uma mãe?

"Questionado sobre a possibilidade de um homem solteiro ter filhos recorrendo a barrigas de aluguer, como terá acontecido no caso de Cristiano Ronaldo, Gentil Martins, de 87 anos, foi peremptório: “Considero um crime grave. O Ronaldo é um excelente atleta, tem imenso mérito mas é um estupor moral, não pode ser exemplo para ninguém”. O médico considera que “toda a criança tem direito a ter mãe” e acusou a mãe do jogador, Dolores Aveiro, de não ter dado “educação nenhuma” ao filho."

Jornal Público

Não é certo que os filhos de Ronaldo venham a necessitar de uma mãe. O ser humano, muitas vezes, só sente falta de coisas que já teve ou, pelo contrário, não dá valor às coisas que tem. É estranho mas é assim mesmo. 
Desta forma, os "Ronaldinhos" e as "Ronaldetes" poderão sentir necessidade de uma mãe, momentaneamente, em certas alturas da vida mas nunca sentirão verdadeiramente a sua falta porque nunca a irão ter sendo que, por esse mesmo motivo, não vão perceber a sua importância. Não percebendo a sua importância... Bola de neve, já percebi. 
O pai, rico, vai explicar-lhes que uma mãe implicaria uma pensão de alimentos, custódia partilhada, responsabilidades divididas e que isso poderia ter custos elevados, sentimentais e principalmente... monetários, claro!
O futuro a Deus pertence. Cá estarei para perceber se os filhos do craque Português serão bem resolvidos sem mãe e, em caso afirmativo, dar o braço a torcer.
Da minha parte, não trocava os milhões do Ronaldo - que devem ser muitos - pela minha. Uma mãe, mãe, não tem preço.

Mundo cão

Na semana passada, uma adolescente de 13 anos quase se afogou numa piscina municipal quando, alegadamente, brincava com os amigos no sentido de apurarem quem conseguia aguentar mais tempo sem respirar debaixo de água.

Apesar da brincadeira estúpida, testemunhas oculares do concurso afirmaram  que ela ganhou, não dando hipótese aos adversários.


segunda-feira, 17 de julho de 2017

Os bois pelos nomes

"O cirurgião pediátrico e antigo bastonário da Ordem dos Médicos, António Gentil Martins, admitiu ser contra a homossexualidade (casamento e adopção incluídos), considerando tratar-se de “uma anomalia, um desvio da personalidade”. 
Na entrevista dada ao Expresso, publicada neste sábado e pontuada por declarações que estão a gerar polémica, Gentil Martins diz também ser contra o aborto e a eutanásia, considerando ainda que Cristiano Ronaldo é um “estupor moral”."

Jornal Público

Concordo com... tudo!


domingo, 16 de julho de 2017

Demência

Os fantasmas da alma são criações minhas!
São espelhos redondos com dúzias de linhas
São pássaros brancos que enchem a mente
São lírios acesos nas almas da gente

São traços ardentes turbando a visão
São rios de lava dentro do coração
São pregos cravados no alto da cruz
São bichos nocturnos que cegam à luz

São medos cuspidos da voz do cantor
São traços a cinza na mão do pintor
São chagas no céu que o inferno nos traz
São sombras intensas na caverna onde estás

São murros no estômago são pó são algemas
São traumas profundos violentos dilemas
São ervas daninhas em lugar de vinhas:
Os fantasmas da alma são criações minhas!

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Muito come o tolo... mas mais tolo é quem lho dá.

Este provérbio vem a propósito da expressão  "Ladies and gentlemen", ou senhoras e senhores, típica de saudação em vários locais, que vai deixar de ser usada no metro de Londres, sendo substituída por expressões mais neutras em termos de género.

"Hello, everyone" (olá a todos) será a partir de agora a forma de cumprimento generalizada no metro londrino, conforme noticia o New York Times.

Apesar dos insultos que li nas redes sociais à comunidade LGBT por defender a alteração, alegando que a expressão senhoras e senhores não inclui toda a gente, eu percebo-a e aprovo. Estou com a comunidade. 

As pessoas, mal-intencionadas, não percebem que no metro podem viajar animais, como cães-guia, e estes não estavam incluídos na saudação. Haja paciência para tanto preconceito.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Só rir... Estes políticos põem em causa o emprego dos humoristas

"Ser filho de Mário Soares prejudicou-me imenso na política."

João Soares

"Diziam que eu tinha talento para Guarda-Redes de futebol."

Luís Marques Mendes


Tá certo!

Os bandidos, ladrões, vigaristas, agiotas, mercenários compram aviões para viajar, hotéis e resorts para passar férias, casas para estudar, coleções de arte para massajar o ego, carros de luxo para passear, bancos para roubar, jornais para manipular.

O juiz responsável pelos casos de corrupção onde - os de cima - estão envolvidos, viaja para a Madeira num voo regular em classe económica.

O povo acha muito bem, vendo nesta atitude um exemplo: porque ele até viajou no lugar 21E.

Perderia muito tempo a explicar as razões que me levam a estar contra estas decisões. Os que, como eu, não vêem novelas na TV, já lá chagaram.

terça-feira, 11 de julho de 2017

Nunca tinha pensado nisto...

"A condição frágil e mortal do ser humano movimenta a indústria dos seguros, as forças armadas, a medicina, os mecanismos de segurança dos aparelhos, os filmes de Hollywood, enfim, é responsável direta ou indiretamente por mais de dois terços do PIB mundial."

Augusto Cury, O Homem mais Inteligente da História

segunda-feira, 10 de julho de 2017

Há um ano...

"Vou ficar cá muito tempo, só vou dia 11 para Portugal e vou ser recebido em festa."

Fernando Santos


Genial

É muito frequente, nos mais variados campos como a poesia, o teatro, o desporto, a fotografia, a pintura, entre outros, sentir inveja de alguma coisa ou algo que alguém fez/pensou/idealizou, nomeadamente quando, na minha óptica, é algo bem conseguido, fora da caixa, inesperado, inesquecível, genial.
O cartaz em baixo, na área da publicidade, é um bom exemplo disso mesmo. Os outros cartazes da campanha são, igualmente, fantásticos.
Parabéns ao autor e à marca!




domingo, 9 de julho de 2017

Difícil...

"Precisamos, como disse um poeta, de ter paciência com tudo o que está por resolver nos nossos corações, de tentar amar as perguntas como se fossem livros escritos numa língua desconhecida, abraçar a inquietação como o território onde a nossa vida se desmultiplicará para, um dia, se unir em torno de uma resposta, à semelhança de uma família novamente reunida."

João Tordo, O deslumbre de Cecília Fluss

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Luta Fratricida de... bruxos!


Se ambos se descredibilizam, como podem continuar a sua actividade profissional?
Perguntem aos clientes. 

Depois de Anãs Prostitutas e Stripers Anões, chegam os Anões Amuleto!

No seguimento das acusações do FCP ao SLB de feitiços e bruxarias, foram chamados para entrevista duas personalidades relevantíssimas em assuntos do além: o bruxo de Fafe e o Mestre Alves.

O primeiro não acerta uma. O segundo, além de não acertar uma, tem piada.

Já tinha ouvido falar em anãs Prostitutas, metidas dentro de malas; Anões Stripers, grande moda na capital nas despedidas de solteira; De anões Amuleto é a primeira vez.






quarta-feira, 5 de julho de 2017

Um robalo para a mesa 44

No país das maravilhas, os negócios ruinosos de atribuição de crédito na CGD ficaram sem culpados.

O apuramento dos factos "doa a quem doer" do Presidente da República é cirúrgico.

Mais um capítulo das famosas conquistas de abril.

Arrábida

terça-feira, 4 de julho de 2017

Será que o conselheiro e o presidente só falam de assuntos culturais?

Em caso de catástrofe, a cláusula 17 retira todas as responsabilidades a um sistema criado para  ser usado em catástrofes, como: “actos de guerra ou subversão, hostilidades ou invasão, rebelião, terrorismo ou epidemias, raios, explosões, graves inundações, ciclones, tremores de terra e outros cataclismos naturais que directamente afectem as actividades objecto do contrato."

Como é que um serviço de emergência, não pode ser responsabilizado em situações de emergência? - pergunta Pedro Mexia, Conselheiro do Presidente da República para assuntos Culturais, no programa Governo Sombra. 


Bem-vindos à República Portuguesa

"Orçamento da Defesa para 2017: 2149 milhões de euros. Será que não dava para arranjar uns trocos para pôr a funcionar o sistema de videovigilância de um armazém com explosivos potentíssimos e lança-granadas capazes de abater helicópteros? O supermercado da minha rua tem videovigilância para ver se não roubam agriões e latas de salsichas. O Bairro Alto tem videovigilância para ver turistas ébrios a vomitar nas esquinas. Mas um paiol do Exército contendo armamento capaz de demolir um prédio e matar milhares de pessoas não tem a dignidade de um bêbado nem de uma salsicha tipo Frankfurt. Bem-vindos à República Portuguesa."

João Miguel Tavares, Público


“Estamos metidos num grande sarilho”

Mais desta casta, e a coisa corria bem melhor.


Haters

Não me importo que me julguem estúpido. Passo-me quando começam a acreditar nisso.

domingo, 2 de julho de 2017

O que é que ele fumou?

O Passos Coelho estava na plateia.  Isso explica muita coisa mas não explica tudo. Mais um vídeo para a rubrica: sem comentários.


sábado, 1 de julho de 2017

Eu não digo... Bronca!


Faz sentido 3!

Aos que me acusam de não saber o que é viver sem liberdade respondo com bonomia. Amigo(a), a liberdade está cara, muito cara, caríssima. Na semana passada, a liberdade teve um custo de 64 vidas. Uma vida não tem preço. 

O que fizemos com a nossa liberdade? Como a usamos? Foi esta liberdade que os militares sonharam quando invadiram Lisboa?

Não me parece... pelo menos posso mandar umas postas de pescada aqui no Blog enquanto outros se governam: é um fartar vilanagem!



Faz sentido 2!

"Os portugueses têm tendência para amnistiar os políticos e tolerar o fenómeno da corrupção, optando por não fazer punição eleitoral, sobretudo a nível local, asseguram investigadores.

Esse padrão de comportamento poderá ajudar a explicar por que razão 25 antigos autarcas voltam, este ano, a recandidatar-se às eleições de 1 de outubro, depois de vários estudos terem demonstrado que "a longevidade com que grande parte dos presidentes permaneceu no cargo potenciou casos de clientelismo, falta de transparência e corrupção" e em "nada beneficiou o exercício democrático"."

Jornal de Notícias

Está explicado por que razão não se investe em educação em Portugal. Não era no tempo do Salazar que não era necessária grande instrução? 




--- As famosas conquistas de Abril ---

Faz sentido!

Agora que houve um concerto solidário, onde o dinheiro angariado foi entregue à "União das Misericórdias Portugueses", a Santa Casa inicia negociações para entrar no Montepio (um banco, alegadamente, falido). Podia dizer muita coisa sobre o assunto, mas não vale a pena. Palavras para quê?



"A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a Montepio Geral Associação Mutualista assinaram um memorando de entendimento que possibilita a participação da instituição liderada por Pedro Santana Lopes no capital do banco da associação. "O memorando agora assinado contempla a possibilidade de uma participação da SCML na Caixa Económica Montepio Geral, abrindo o caminho para a participação de outras instituições" no capital do banco, lê-se num comunicado divulgado esta sexta-feira pelo Montepio."

Revista Sábado

--- As famosas conquistas de Abril ---

Ah... Ok... Peço desculpa pelo hipócrita... Afinal o semblante de sofrimento era do carro!

"O carro particular da ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, foi assaltado quando estava estacionado perto da casa de uma pessoa próxima da governante, em Cascais, tendo sido furtados alguns objetos. O crime ocorreu de 17 para 18 de junho, após a titular da pasta da segurança interna ter optado por deixar a viatura naquele local quando se deslocou de urgência para Pedrógão Grande devido aos incêndios."

Correio da Manhã


quinta-feira, 29 de junho de 2017

Uma abraço ao Alberto

"Em nações menos exóticas, haveria quem expusesse o talento do dr. Costa, de certos amigos do dr. Costa e de outras personalidades admiráveis no “investimento” de milhões em comunicações que não comunicam e em helicópteros que não descolam. E quem fosse directa ou indirectamente responsabilizado pelas famílias encurraladas e carbonizadas em plena estrada, que se apelida “da morte” para efeito “dramático”. E quem denunciasse as mentiras cometidas por figuras ditas de relevo a partir do ponto em que a quantidade de cadáveres era demasiada para continuar a adiar a divulgação. E quem, acima dos estropícios que entopem a Administração Interna, explicasse em língua de gente a recusa dos bombeiros galegos. E quem lembrasse que é tão fácil quanto inútil ganhar campeonatos de futebol, festivais de cantigas e incumbências na ONU: difícil é ganhar vergonha na cara.

Nações menos infantis não descansariam até varrer os demagogos que celebram glórias imaginárias e fintam as desgraças autênticas. Portugal, não. Portugal respeita os mortos, leia-se espera que os vivos não perturbem a “estabilidade”. Portugal observa prioridades, leia-se deixa arrefecer o assunto. Portugal não cede à baixa política, leia-se permite a impunidade geral. Portugal está unido, leia-se criou-se um ambiente hostil a questões desagradáveis. Portugal, repete-se, é uma nação muito forte, leia-se um recreio de oportunistas, desnorteados ao primeiro assomo da realidade.

Sobra uma lição, que a “nação muito antiga” teima em não aprender. Em Pedrógão Grande, o Estado falhou no solitário papel que lhe devia caber: proteger fisicamente os cidadãos. Logo o Estado, de que os portugueses esperam tudo e, no momento que importa, obtêm nada. Não é coincidência."

Todo o artigo aqui.

Alberto Gonçalves, Observador

caos

1. Confusão dos elementos antes da criação do universo.
2. [Figurado]  Confusão.
3. Desordem.
4. Perturbação.

Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

A teoria do caos está muito presente no dia-a-dia dos portugueses. Em todo o lado, a arraia miúda discute e propõe formas de melhorar o país nos mais diversos sectores de actividade, incidindo particularmente em formas de desburocratizar instituições e organismos. A pergunta-conclusão é sempre a mesma: mas eles (políticos) não vêem isto? 
Uma novidade: vêem. Por incrível que pareça, as pessoas que ocupam esses cargos, salvo raras excepções, são qualificadas e inteligentes o suficiente para perceber as idiossincrasias do país onde nasceram, viveram e que, de certeza, conhecem melhor do que qualquer cidadão comum. 
O problema é que o caos dá-lhes jeito. Com a organização instalada, ou a falta dela, podem fazer as suas negociatas, os seus esquemas, as suas tramóias: corrupção. Como diz um amigo meu, estão mais perto de "ganhar o belo".
Tomando como exemplo o recente incêndio em Pedrógão, se fosse tudo organizado não teria havido incêndio ou, pelo menos, não seria tão grave; se não houvesse incêndio não teriam trabalhado os helicópteros e aviões: dos amigos; não precisaríamos de um sistema (SIRESP) que não funcionou mas que foi comprado: aos amigos; não se faria um concurso para a aquisição das viaturas dos bombeiros que arderam que vão ser vendidas, adivinhem, pelos amigos; não seria preciso reflorestar a floresta pelas empresas dos amigos; as telecomunicações e a electricidade não seriam repostas pelas empresas dos amigos, que já foram vendidas a preço de amigo e que têm de justificar as gratificações que deram aos amigos; não eram constituídas comissões que vão analisar no terreno o que se passou, com pessoas que irão ser pagas a peso de ouro, pessoas que são: os amigos. Telejornais, Directos das Televisões, Concertos Solidários, Linhas de Apoio, Comissões Parlamentares não teriam existido. 
Resumindo: as vidas humanas pouco importam, para a generalidade dos políticos o que interessam são os interesses dos amigos. Por isso, a minha revolta...
Ainda pensei que os artistas que participaram no concerto solidário, com o tempo de antena que tiveram, falassem sobre estes assuntos, botassem a boca no trombone, que os desmascarassem, que dissessem alto e bom som que nunca mais pode acontecer uma situações destas, que vidas humanas não têm preço, mas, se calhar, também são amigos... 

N.B. Não falarei mais sobre este assunto.
N.B(1). O PCP e o Bloco de Esquerda ainda existem?
N.B(2). A comissão constituída para apurar responsabilidades nada irá concluir.

Cárcere

Não durmo cansado, é irónico
Não fujo do cárcere, é icónico
Não sofro com dor, é tramado
Persigo o futuro do passado

Sem vida não vivo, é concreto
Sem chama não amo, está correto
Sem luz não levanto, um cabelo
Sou mais lambuzado do que um selo

Ninguém na vanguarda, é perigoso
Ninguém faz de mim, temeroso
Ninguém me mapeia, o destino
Sou um anjo ou sou um cretino

Não faço a pergunta correta
Sem ela não alcanço a meta
Ninguém me vai dar a razão
A resposta está no meu coração


terça-feira, 27 de junho de 2017

SIRESP - A Vergonha das Vergonhas

"O BPN foi nacionalizado em Setembro de 2008 – em plena crise financeira internacional – e arrasta-se pelos tribunais desde então. A SLN foi repartida numa parte “boa” (vendida à Galilei) e uma “má” (gerida pelo Estado). Mais tarde, em 2014, foi a vez do Grupo Espírito Santo se esfumar em inquéritos, políticos e judiciais. A PT valia nos últimos dias, antes de ser comprada pela francesa Altice, cinco vezes menos do que quando fora privatizada pela primeira vez.

Do consórcio que fez a parceria público-privada com o Estado, no SIRESP, só a Motorola e a Datacomp sobreviveram a estes 11 anos que mudaram muita coisa, mas aparentemente não trouxeram os benefícios da tal “revolução” anunciada no combate aos incêndios, através de uma comunicação mais eficaz entre as forças que trabalham no terreno. Mas isso será esclarecido quando o inquérito pedido pelo primeiro-ministro mostrar os seus resultados."

Jornal Público

Nesta PPP temos o Dream Team das empresas vigaristas: BPN, SLN, BES e PT. 
O sistema não funcionou e morreram 64 pessoas, vidas que poderiam e deveriam ter sido salvas com um melhor sistema, talvez mais barato... Mas como alguém tinha de ganhar dinheiro, comprou-se e pagou-se milhões (meio submarino) por um sistema que não presta.
Aposto que o relatório dos acontecimentos não vai culpar ninguém. A culpa, mais uma vez, vai morrer solteira. A ministra não se demite porque tem confiança política do primeiro ministro. O primeiro ministro faz perguntas em vez de dar respostas. Os últimos dois ministros da Agricultura culpam-se mutuamente. O líder da oposição acusa o primeiro ministro com base em rumores. Não existe comissão de inquérito independente. O povo assiste a isto tudo impávido e sereno. 
Perante isto, não percebo como é que não houve um levantamento popular no funeral das vítimas onde, hipócritas políticos, compareceram com a maior cara de pau do mundo. 
Somos mesmo um país de brandos costumes. 
Como dizia o banqueiro: "Aí aguenta, aguenta."


                      --- As famosas conquistas de Abril ---

domingo, 25 de junho de 2017

Aí arde, arde...

Os hipócritas dos políticos, choram e dão abraços em frente das câmaras mas, depois, permitem isto:




Fotos tiradas em Arouca, ontem. 

Se alguém se lembra de deitar um cabeça vermelha aqui, virão de novo: lamentos, fotos, votos de pesar, dias de luto, estudos, programas de televisão, notícias de jornal, pessoas a beber leite, directos, jornalistas com corpos por levantar, funerais, palmas (flores e batimentos de mãos), choros, carros dos bombeiros ardidos, ambulâncias, feridos graves e ligeiros, mortos, imóveis destruídos, animais carbonizados, aviões de Espanha, Comissão Europeia, donativos, Hiperatividade em Marcelo... para o ano está tudo igual. Haja paciência!