segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Corrupção da Realidade

"Conheci há uns anos um professor romeno que me contou duas ou três obscenidades sobre a ditadura do camarada Ceausescu. Dizia ele que o problema do regime não estava apenas na violência explícita. Estava na “corrupção da realidade” - uma forma de faIsificar o senso comum, apresentando como normais situações absolutamente anormais.
(...)
Portugal passa por um processo semelhante. Não somos uma ditadura, mas todos os dias a anormalidade é apresentada como uma nova normalidade."

João Pereira Coutinho, Sábado

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

É isto!

"Professô Rolando • há 2 dias

O professor actual é o equivalente a um a Animador Sociocultural, um artista circense, um palhaço, um fiel de armazém, ou seja, é alguém para tomar conta deles.

A escola passou a ser um depósito de crianças para que os pais possam trabalhar. Para ser professor serve um individuo qualquer desde que tome conta deles.

Depois pede-se a estes "entertainer" para preencherem umas plataformas e fazerem uns relatórios e umas atas e pronto é isto "Ser Professor".

Mas a malta julga-se gente importante - uns setôres - e no fim de contas são é uns valentes tristes."

Como "store", não podia estar mais de acordo! Acrescentaria à primeira frase as profissões de domador e entertainer. 

No seguimento da mensagem anterior

Na semana passada, o realizador do jogo entre o Guimarães e o Benfica decidiu colocar no ar uma adepta encarnada, enfatizando alguns atributos. 


Depois disto, as redes sociais incendiaram-se contra o realizador, conta a adepta, contra o sexismo, contra o escravatura, contra o apartheid, contra a Coreia do Norte e contra os tocadores de Clarinete. 


Obrigado a todos por me darem, todos os dias, motivos para sorrir. 

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Há muitos

Bem escrito

"Creio que, numa relação, o beijo terá sempre de manter a densidade do primeiro, a história de uma vida, todos os pores-do-sol, todas as palavras murmuradas no escuro, toda a certeza do amor. Mas já não é assim. Agora sabem às vacinas que tínhamos de dar à cadela (já morreu), às conversas com o director da escola, à loiça por lavar, à lâmpada que falta mudar, às infiltrações no tecto, às reuniões de condóminos. Toco levemente os lábios dela e sabe-me à rotina, às Finanças, ao barulho da máquina de lavar roupa. Beijamo-nos como quem faz a cama."

Flores, Afonso Cruz

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Está tudo doido?

"A MEO não vai cobrar as mensalidades, nem as penalizações, aos herdeiros dos clientes que faleceram no incêndio de Pedrógão Grande. E durante três meses também não cobrará aos clientes que viram as suas casas destruídas ou afectadas."

Expresso

Parafraseando Avelino Ferreira Torres, era uma "filha da putice" se o fizesse. 
Começo a ficar cansado de, em Portugal, se parabenizar/agradecer a pessoas ou instituições só porque fazem o que deve ser feito. 


Governo Portugal

Antes de Pedrógão


Depois de Pedrógão


Costa/Centeno


Ministra Administração Interna


Marcelo


Oposição





O que é um português qualquer normal?

"Quem tem de aplicar as leis são as autoridades e quem prevarica, evidentemente, tem de ser punido, seja cigano, seja muçulmano, seja um português qualquer normal."

Marques Mendes, SIC

Será o doutor Marques Mendes um português qualquer normal?




14 milhões não compram um iatezito (pequenito)?

O presente de 14 milhões de Ricardo Salgado "’Liberalidade’. Foi com esta expressão jurídica que o banqueiro justificou, no Banco de Portugal e no DCIAP, ter recebido, não 8,5 mas um total de 14 milhões de euros do construtor. Em causa estava "um acto de carácter espontâneo e a título gratuito que venha a favorecer ou a beneficiar economicamente alguém". Resumindo, uma oferta em dinheiro.

Jornal de Negócios

"Na primeira vez que foram a minha casa vinham à procura dos iates, em Monte Carlo. Não há iates, nunca houve. Ah, e não há castelos na Escócia."

Sábado

Mais uma mensagem da rubrica: e o burro sou eu!




Voto Nulo

Fazer política, com acusações mútuas sobre os incêndios (PS vs PSD), em particular o de Pedrógão, em vez de identificarem as suas causas e implementarem, ontem, medidas para não voltar a acontecer, diz tudo sobre o actual estado da política portuguesa. Mea Culpa porque votei num deles.