sábado, 11 de novembro de 2017

Chineses

Os chineses da minha terra.
Os chineses da minha terra não são como os outros chineses: fumam, bebem, vão ao café, pedem torradas, usam e abusam do restaurante.
Os chineses da minha terra são simpáticos, têm sentido de humor, não me perseguem na sua loja de chineses, riem-se, mostram os dentes, têm sentido de humor, riem-se, brincam com sentido de humor.
Os chineses da minha terra são fixes. 
É tudo.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Comentário Retirado de uma Rede Social

"Porque não deixam Sócrates em paz? Mesmo que venha a ser condenado (duvido, embora não diga que é inocente) não terá ele direito a fazer a sua vida? Não gostam paciência... sigam em frente! Acredito que a maior parte destes comentadores amanhã vão à missa bater com a mão no peito ... Onde fica a caridade cristã? Tanto corrupto, tanto corruptor, tanta gente sem vergonha e só com Sócrates é este ódio exacerbado... é tudo maldade ou é só perseguição política? Terá ele alguma razão? Um dia saberemos..."

A autora do mesmo tem curso superior. Será que teve equivalências?

domingo, 5 de novembro de 2017

sábado, 4 de novembro de 2017

Poesia-me

Poesia-me.
Faz de mim o teu soneto,
A tua melhor rima,
Aumenta a minha auto-estima

Poesia-me sempre.
Utiliza a tua ironia,
O teu sarcasmo,
O teu melhor pleonasmo

Poesia-me bem.
Acredita no passado,
Hiperboliza o nosso amor,
Brinca com a nossa dor

Poesia-me à vontade.
Afaga as sílabas, escolhe cada palavra,
Faz da conjugação a tua amada,
Torna a pontuação tua aliada, 

Poesia-me mais e mais.
Mais que muito, mais que tudo,
Grita a metáfora que tens dentro de ti,
Torna-me o poema que nunca li

Poesia-me demais.
Torna-me humano, desalinhado, 
Sonhador, obstinado, 
Mortal e apaixonado.

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

44.4 - Para nunca mais esquecer

Ninguém consegue fazer aquilo que o Sócrates fez, sozinho. A partir de certa altura os acumulares de casos são demasiado evidentes, para não ver é preciso ter muita vontade. Eu não via as coisas que mais ninguém via. Aquilo que estava diante de nós era de tal modo evidente, que eu não consigo aceitar com facilidade ou desculpar as pessoas que durante anos e anos fingiram que não viam coisas que eram por demais evidentes, essas pessoas têm de ser chamadas à pedra. 
Antes de eleições de 2009 aconteceram coisas atrás de coisas e ele ainda fica à beira de uma maioria absoluta. Este processo é um julgamento de uma certa maneira de fazer as coisas em Portugal que durou muito tempo até chegar a um primeiro-ministro, isso é que é inédito. Isto tem de ser relembrado, tem de ser dito e redito, vivemos num país com uma péssima memória, não para apontar o dedo mas para impedir que volte a acontecer. 

João Miguel Tavares, Governo Sombra (adap.)

44.3 - Para nunca mais esquecer

A sensação de colapso de regime não é total porque nós podemos comparar quem falhava e não falhou, deixamos de ter um arquivador geral da república e passamos a ter uma Procuradora Geral da República. Eu não sei se havia ou não fundamento nas várias acusações. Sei que havia uma predisposição que fez muito mal ao regime para não deixar investigar, para arquivar tudo.
(...)
Há algumas partes que qualquer pessoa com a lógica do senso comum que qualquer cidadão tem, tem direito a interrogar-se. O Carlos Santos Silva só pode ser preso ou canonizado, não é possível, não há terceira via, ou é o melhor amigo de todos os tempos de que há amigos, qualquer pessoa... é esquisitíssimo...  Ninguém acredita naquilo.

Pedro Mexia, Governo Sombra (adap.)

44.2 - Para nunca mais esquecer

É impossível negar que há indícios. Há factos indesmentível pelos arguidos: factos, conversas que indicam coisas graves. Isso faz com que várias pessoas que faziam parte do círculo pessoal e político se sintam numa posição frágil. Com razão. Algumas dessas pessoas admitiram a culpa como Clara Ferreira Alves - admirei a sua posição que foi dizer: enganei-me. O argumento do tempo... são 31 crimes, 500 contas bancárias. 
Ainda há pessoas que se ficam no acessório em vez do essencial: hei.... tantos erros de pontuação nestas 4000 folhas que descrevem 31 crimes GROTESCOS... 
Muito gente foi enganada, muita gente se deixou enganar por deslumbramento, pelo poder, pelo dinheiro, muita gente fez de idiota útil. Neste momento há um clima de triunfo que não é justificável, este caso, seja qual for o desfecho, derrotados somos todos. 

Ricardo Araújo Pereira, Governo Sombra (adap.)

44.1 - Para nunca mais esquecer

O sr. Sócrates é um caso. Ou inúmeros casos. Apenas numa semana, com e sem escutas, aprendemos que: 1) a Ordem do ramo não considera o sr. Sócrates engenheiro, etiqueta a que aliás meio país só recorria por galhofa; 2) uma das diversas senhoras das relações do sr. Sócrates, que como as restantes se servia do homem para fins materiais, em matéria sentimental preferia Claudino, emigrante e trabalhador da construção civil; 3) um tal prof. Domingos, autor do primeiro livro do sr. Sócrates (esta frase é estranha em qualquer contexto excepto neste), negou que a “obra” tivesse sido escrita em francês, conforme o ex-primeiro-ministro garantiu para dar “prestígio”; 4) o sr. Sócrates assinou (aqui o termo é literal) novo livro, e embora ainda se desconheça o autor, o título (“O Mal que Deploramos”) parece autobiográfico – e não é; 5) o sr. Sócrates tinha na CGD uma gestora de conta invejável e intransmissível, que lhe dispensava quantias gordas a tempo de pagar jantares e casacos Prada; 6) o sr. Sócrates não fazia ideia do dinheiro que (não) possuía, estratégia que de resto adoptou no governo da nação. Entre esquemas toscos, mentiras pegadas e restante parafernália pirotécnica típica dos fura-vidas, o sr. Sócrates construiu uma figura pública e privada que, desculpem lá, tem a sua graça. Aos que acusam o indivíduo de prosperar à custa dos outros, e provavelmente à nossa, respondo que, se calhar, valeu a pena: o abundante divertimento que o homem regularmente proporciona não podia ser gratuito. Podia, admito, ser um pouquinho mais barato. Mas de borla ninguém consegue nada (ninguém, vírgula).

Alberto Gonçalves, Observador

Está giro